Toque de recolher é prorrogado até 19/04 em toda a Bahia

O Governo do Estado anunciou, neste domingo (11/04), a prorrogação do toque de recolher, da proibição das aulas presenciais e de eventos em toda a Bahia. As medidas, que venceriam nesta segunda-feira (12/04), passam a valer até 19 de abril. O Decreto 20.387 foi publicada  neste domingo (11/04), na versão on-line do Diário Oficial do Estado (DOE).

Os estabelecimentos comerciais que funcionem como restaurantes, bares e congêneres deverão encerrar o atendimento presencial às 19h, conforme alteração introduzida pelo Decreto 20.369 de 04/04, permitidos os serviços de entrega em domicílio (delivery) de alimentação até às 24h

Porém, fica proibida a venda de bebida alcoólica em qualquer tipo de estabelecimento, inclusive por delivery, no período das 18h do dia 16, próxima sexta, até 5h de 19 de abril.

 No período das 20h às 5h, em toda a Bahia, segue restrita a locomoção de pessoas, sendo proibida a permanência e o trânsito em vias, equipamentos, locais e praças públicas.

Segue proibida ainda, em todo o território baiano, a prática de qualquer atividade esportiva coletiva amadora até 19 de abril, sendo permitidas as práticas individuais, desde que não gerem aglomerações.

O funcionamento de academias e estabelecimentos voltados para a realização de atividades físicas segue liberado, desde que limitada a ocupação ao máximo de 50% da capacidade do local, observados os protocolos sanitários estabelecidos.

Aulas presenciais e eventos

Continuam suspensas, até 19 de abril, as aulas presenciais nas unidades de ensino, públicas e particulares, ressalvados os estágios curriculares obrigatórios dos cursos da área de saúde.

O decreto 20.393, publicado na edição desta terça-feira (13/04) do Diário Oficial do Estado (DOE), liberou a realização de eventos no estado, com público de até 50 pessoas. O Decreto 20.394, publicado nesta mesma edição do DOE excluiu desta medida 61 municípios das regiões oeste e de Irecê, como Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Irecê e Morro do Chapéu.

Fonte: Correio da Bahia, g1/bahia